Consultoria conclui que há descontrole na gestão da Câmara de Vereadores

O presidente do legislativo caxiense, Flávio Cassina (PTB) contratou uma assessoria para avaliar o funcionamento de todos os setores do legislativo. A conclusão foi surpreendente, mas não inédita.

Segundo a EJRoss Assessoria há um alto número de atestados médicos, descontrole com o cumprimento do horário, falta de controle nos gastos de combustível, problemas estruturais no prédio do legislativo e até desordem durante as sessões.

Mas essas conclusões não são novidades. Há 5 anos a Câmara de Vereadores investiu cerca de R$ 90 mil para um estudo semelhante. Na ocosião também foram realizados cursos de aperfeiçoamento para os servidores. As ações, que deveriam ser continuadas, não aconteceram e todos os problemas voltaram.

Casina também não apresenta nenhum plano para ir além de sua gestão, que termina em dezembro. Para a reportagme da rádio São Francisco o presidente alegou que os atestados estão dentro da normalidade e que o controle das horas extras é feito pela mudança nos horários da sessão.

Para além desses problemas a Câmara investiu R$ 400 mil par a mudança dos sistema de informática para a movimentação interna dos projetos e demais ritos legislativos. O Legix tinha suporte técnico da Di Uno, que não prestou os serviços contratados motivando reclamações constantes. Segundo Casina uma nova licitação será feita para "perfumar" o Legix - sem exatamente dizer o que significa "perfumar" um investimento de 400 mil.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mauro Pereira, fiel escudeiro de Eduardo Cunha na Câmara de Deputados

É um absurdo: Lasier Martins arranjou emprego para a namorada na Assembleia Legislativa

TV Caxias terá bens leiloados