terça-feira, 22 de setembro de 2015

Jornalismo mequetrefe não faz conversão de moeda e dá barrigada

Não dá nem para colocar a culpa no estagiário. A Revista IstoÉ cometou uma "barrigada" (termo jornalístico para mancada) ao esquecer de fazer a conversão de moeda em uma matéria sobre a Embaixada do Brasil em Budapeste.

Com o título de "Vergonha Nacional" a matéria falava que o governo havia gasto R$ 1,3 milhão em uma recepção no dia 7 de setembro.

Aí que entra o jornalismo mequetrefe. A revista esqueceu que os valores que ela obteve estavam na moeda local (florim hungaros). Desse jeito os UHF$ 1,3 milhão viram R$ 20 mil. Um valor 50 vezes menor.

Os R$ 160 mil em bebidas, de novo na moeda errada, na verdade são R$ 2.073,38. Todas as informações estavam no Portal Transparência que não deve ter sido consultada pelos editores, nem o Ministério das Relação Exteriores, que em nota de esclarecimento informou que a revista não entrou em contato para checar a informação.

"O evento foi extremamente exitoso e contou com a presença de cerca 400 pessoas, entre autoridades locais, integrantes da comunidade brasileira, empresários, acadêmicos, jornalistas e membros do corpo diplomático e membros dos comitês olímpico e paraolímpico da Hungria. O evento teve como tema os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016", afirmou o Ministério em nota.

Há muito tempo o jornalismo brasileiro tem perdido a noção do ridículo, da verdade e da coerência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com