terça-feira, 29 de setembro de 2015

Secretário de Sartori vai ao extremo da irresponsabilidade ao estimular a criação de milícias

Wantuir é escolha da cota pessoal de Sartori
A fala do secretário de segurança do governo Sartori (PMDB), Wantuir Jacini, atingiu o mais alto grau de irresponsabilidade ao estimular que a população faço o trabalho da polícia e prenda delinquentes.

Ele foi triplamente irresponsável.

Primeiro por contrariar as próprias orientações da Brigada Militar que sugere, em um assalto, que a vítima procure não reagir, já que ela está em desvantagem.

Segundo por estimular a criação de milícias e grupos que podem, e vão, executar justiça com as próprias mãos o que, inevitavelmente, resultará em vitimização de inocentes.

Terceiro por aumentar o clima de insegurança e colocar a população em perigo ao desacreditar o papel da Brigada Militar, rebaixando o moral, já destruído da tropa.

A soma de tudo isso é uma gestão de segurança pública desastrosa que elevou todos os índices de crimes no estado.

Na sexta feira, um dos piores casos, foi um tiroteio que resultou em um morto e sete feridos na Vila Cruzeiro, em Porto Alegre. Em reação a isso um ônibus foi queimado, a Unidade Básica de Saúde foi fechada, escolas paralisadas e linhas de ônibus interrompidas. Uma das regiões mais populosas da Capital ficou refém da violência por três dias.

Também no final de semana o prefeito de Porto Alegre, José Fortunatti (PDT) cobrou atitude por parte do secretário. Ele fez um apelo, via redes sociais, para que a Força Nacional de Segurança fosse acionada para auxiliar no policiamento da capital.

Wantuir rechaçou a proposta afirmando que "a Brigada Militar tem efetivo suficiente para resolver a questão", mesmo que houve um corte de 40% nas horas extras, a corporação perdeu mil policiais por aposentadoria e novos não foram chamados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somos responsáveis, mesmo que indiretamente, pelo conteúdo dos comentários. Portanto textos que contenham ofensas, palavrões ou acusações (sem o fornecimento de provas) serão removidos. Se quiser falar algo que necessite de anonimato use o email polentanews@gmail.com